Mudam-se os tempos...mas não muito


Escrevia na lousa sobre a aventura das navegações. Na 5ªB, claro.
Consegui conversar com eles hoje de novo, e contava sobre os monstros que viviam na imaginação dos navegadores que tinham coragem de se enfiar num barco por meses, temendo ciclopes, dragões e sereias...
_ Tinha loira burra, sora?
Não entendi, continuei falando outra coisa, pedi pra alguém sentar, pedi pras meninas pararem de falar, escrevi mais um pouco na lousa. Escutei o papo dos dois menininhos da frente.
_ Então dizem que ela corta a boca com uma faca, pra você não gritar...
_ E tem que dar três descargas...

Parei, olhei e perguntei. Como se chama a loira?
_ Loira burra, sora!

A menininha do fundão vem correndo...
_ Um dia eu cheguei no banheiro e encontrei uma menina chorando no canto. Ela disse que não entrava no banheiro porque a loira burra tava lá.

Gente! Pessoal! Sabia que faz pelo menos 20 anos que esta história existe? Será que é verdade mesmo?

_ Claro que é, Sora!, responde o David. Eu já vi.

Comentários

Faça o David escrever, desenhar, imitar e até mesmo encenar a tal loira. Gostaria muito de vê-la representada. Depois, passe ele de ano direto!
Genial a manutenção do "sora"!
>>>i_2>>>
Bia disse…
A história só permanece porque sempre tem um que a vê!!!!
E é claro que tem que ser um David!
cassia disse…
Que historia é essa? Todo mundo sabe que a Loira do Banheiro (ou seus apelidos posteriores, fruto de uma geracão que nao respeita tradicoes) é radicada em Piedade, a capital secreta do mundo.... oras... perto da comunidade de palhaços que exportam rins....

Postagens mais visitadas deste blog

Superstição!

Árvore da Vida, do Klimt