Ridijaneiro

Manhã na praia neste domingão. E, brilhando na areia que me camufla, eu passo por uma turixta. Meu primo salva de não me explorarem muito. Não, merrmão, é dois reais!

À tarde, passeio no centro. Resolvi levar a câmera, contra as recomendações da minha tia e seguindo as do meu primo. Em frente a UERJ, um figura pequeno, com faquinha de serra tramontina, vem delicadamente pegar a câmera do meu ombro. Sai fora merrmão, com um tapa no peito do carinha, que sai fora mesmo! O máximo de medo que planejei passar aqui já rolou. Bom!

Depois daí, fantasiei minha câmera numa sacola de feira e tranqüila subi no bonde de Santa Teresa com um motorista beem carioca, que parava o bonde no caminho pra galera subir no estribo. Lá em cima, vista de tudo com o pão de açúcar no fundo. Foto: depois eu mostro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Superstição!

Árvore da Vida, do Klimt